Somos o 9.º A da Escola EBI c/JI Cidade de Castelo Branco. Neste blog, publicaremos os nossos trabalhos realizados no âmbito da disciplina de Área de Projecto.

22
Fev 10

Portugal nos anos 30 e 40

 

Nos tempos da minha avó materna, Quitéria de Jesus, a vida era bastante diferente da de hoje. Morava numa aldeia chamada Cabeço do Infante, numa casa feita de pedra, com poucas divisões, sem casa de banho. Não havia electricidade, nem água da rede. Vivia com os pais três irmãs e um irmão. Aos 7 anos foi para a escola, mas deixou-a, para ir trabalhar no campo. Conheceu o marido na aldeia onde nasceu e onde teve dois filhos. Trabalhavam os dois muito, para sustentar os filhos e para conseguir ter comida na mesa. Levantava-se muito cedo, para ir trabalhar no campo. Tinha uma vida muito dura. Passava o dia todo a trabalhar, levava o almoço para a horta e na hora de maior calor é que comiam. Regressavam ao trabalho e ficavam lá até o sol se pôr. Ao acabar o trabalho, iam para casa, jantavam e deitavam-se, para o dia seguinte acordarem com forças. Comiam praticamente do que cultivavam na horta e dos animais que criavam. Quando era feita a matança de um porco, as carnes eram conservadas na salgadeira (arca feita em madeira que levava sal grosso). O pão que comiam era feito por ela, no forno a lenha. O meu bisavô tinha uma profissão muito interessante. Era ferrador o que ajudava para pagar algumas despesas. Muitas vezes andava de terra em terra a ferrar. A minha avó fazia de tudo para dar uma boa vida aos seus filhos. Hoje, com 88 anos, está num centro de dia, onde gosta muito de estar. Agora tem uma vida alegre, com os seus filhos e netos por perto.

 

 

Tânia Taborda     

 

publicado por conta-mehistorias às 21:48

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
17
18
19
20

23
24
25
26



arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO